Nazistas
Reprodução/Twitter
Dançarinos estavam vestidos com o uniforme nazista durante a parada na Espanha

Uma parada de carnaval realizada na última segunda-feira (24) na pequena cidade espanhola de Campo de Criptana, na região de Castile-La Mancha, causou a ira de judeus e organizações judaicas ao realizar um desfile com a temática do Holocausto e colocar dançarinos vestidos como nazistas.

Leia também: Frota critica "teatrinho" de Carlos Bolsonaro: "Frouxo que faz papel de feroz"

Segundo informações da CNN, além do grupo de nazistas, que carregava armas ao longo do trajeto, a parada na Espanha também contava com pessoas vestidas de prisioneiros de campos de concentração, com as vestimentas listradas em preto e branco e balançando bandeiras de Israel, e até um barco com urnas crematórias.

Após a divulgação das imagens nas redes sociais, diversas entidades fizeram comunicados de repúdio ao evento. A Embaixada de Israel na Espanha foi uma delas e condenou em seu texto o que chamou de uma "representação terrível do Holocausto " e que fez "piada com a morte de seis milhões de judeus nas mãos dos nazistas ".

Já o perfil do Museu Estatal de Auschwitz -Birkenau lamentou: "É difícil explicar essas imagens. A memória foi colocada de cabeça para baixo, de uma maneira abaixo do vulgar, sem qualquer reflexão ou respeito do que estava sendo feito".

"Imagem errônea"

Após a repercussão negativa, o grupo "El Chaparral Cultural Association", responsável pela trupe que realizou a encenação pediu desculpas a todos que se sentiram ofendidos e que cancelou todas as outras apresentações que seriam feitas.

"Uma imagem errônea do nosso clube tem sido disseminada após o caso e, realmente, esta não era a nossa intenção ao realizar a parada. Nós queremos transmitir uma mensagem de consideração e respeito. Somos contra o genocídio de judeus e temos grande admiração por eles. Por isto, apresentamos aqui nosso pedido de desculpas", afirmou o texto divulgado pelo grupo nas redes sociais.

Em comunicado, a prefeitura de Campo de Criptana afirmou que a associação prometeu um evento que fosse um "tributo aos milhões que morreram injustamente na Segunda Grande Guerra Mundial " e lamentou o resultado apresentado nas ruas: "se a intenção era celebrar o povo judeu , está bastante claro que este objetivo não foi atingido".

Leia também: Bolsonaro divulga vídeo que convoca "patriotas" para ato contra o Congresso

    Veja Também

      Mostrar mais