garota desaparecida
Associação Mexicana de Crianças Desaparecidas
Fátima Cecilia Aldrighett Anton desapareceu em 11 de fevereiro


O corpo de uma garota de 7 anos foi encontrado com sinais de tortura em um saco plástico uma semana da mesma ser sequetrada no México. Um exame de DNA foi necessário para confirmar a identidade da menina, conforme apontou o porta-voz da Procuradoria Geral da Cidade do México (FGJCM), Ulises Lara.

Na qurta-feira (19) dois suspeitos foram presos acusados de "sequestro ilegal".  O corpo da criança foi encontrado próximo a escola onde ela estudava, no bairro de Tulyehualco, no sul da Cidade do México.

Leia também: Ex-conselheiro de Trump é condenado a 3 anos de prisão

A menina esperava por um de seus reponsáveis na escola, quando uma mulher se aproximou, a pegou e saiu caminhando.  Câmeras de segurança registraram o momento da aproximação da mulher e ambas andando calmamente. Não foi possível identificar o trajeto completo, pois muitas câmeras de segurança da cidade estavam quebradas. A partir dos registros a polícia identificou uma casa onde a mulher e a criança teriam entrada e interrogou os donos do imóvel. 

O diretor da escola da garota foi suspenso, pois não adotou o protocolo de entregar a criança apenas ao seu responsável. Parentes da menina insistem que o crime poderia ter sido evitado.

O crime gerou comoção no país. Antes da morte ser confirmada, uma campanha intensa nas redes sociais tomou o México na intenção de encontrar a garota desaparecida. As hashtags viralizaram no Twitter.

Leia também: Polícia apreende submarino do tráfico com cinco toneladas de drogas

A mãe da menina afirma que o tempo perdido, por conta do protocolo da polícia, foi decisivo e que "se eles realmente tivessem nos dado mais apoio, minha filha ainda estaria viva ".

O crime também teve repercussão política , A prefeita Claudia Sheinbaum afirmou que será instaurada investigação contra a Procuradoria.



    Veja Também

      Mostrar mais