Sede da FSB, serviço de inteligência russo
Reprodução
Sede da FSB, serviço de inteligência russo


Sete homens foram condenado, nesta segunda-feira, em Tribunal da Rússia,  por praticar terrorismo de extrema esquerda .  Os réus irão cumprir penas que variam de seis a 16 meses de prisão, conforme o informado por Serguei Morgunov , um dos advogados da defesa, em entrevista à Reuters .

De acordo com a acusação, os homens presos são  “antifascistas” e “anarquistas” integrantes de uma rede de terrorismo de extrema esquerda. Nascidos entre 188 e 1966, eles foram detido ainda em 2017 e aguardavam pelo julgamento.

Leia também: Russos fazem "Big Brother" e mostram como é vida em quarentena do coronavírus

Alguns deles, além das acusações por práticas terroristas, também foram indiciados por posse de armas e tentativa de tráfico de drogas. As penas mais altas, de 16 e 18 anos, foram aplicadas aos dois líderes do grupo.

A  Memorial, sociedade dedicada à memória das vítimas da repressão soviética, questionou a prisão por meio de Svetlana Gannushkina, renomada ativista russa.

"Esse veredicto é para mostrar à população que há uma ameaça de terrorismo político real e é uma ordem à juventude: 'sentem, não se movam!'", protestou Gannushkina.

    Veja Também

      Mostrar mais