Navio Coronavírus
Reprodução
Infectados serão levado para tratamento na cidade de Kanagawa.

O governo do Japão confirmou, na última terça-feira (4), que dez passageiros do navio Diamond Princess, operado pela empresa Carnival Japan Inc, estavam infectados com o coronavírus. Com isso, a embarcação foi submetida a uma quarentena, deixando 3,7 mil pessoas presas dentro do navio.

Leia também: Governadores pedem recursos para combate ao coronavírus nos estados brasileiros

Na tarde desta quinta-feira (6), o Ministério da Saúde do Japão confirmou que outros dez passageiros foram infectados pelo coronavírus , subindo o número total de casos dentro da embarcação para 20. Os novos casos foram identificados após a realização de 71 novos exames nos passageiros e na tripulação. Os infectados serão levados para tratamento na cidade de Kanagawa, enquanto o restante permanecerá em quarentena.

O primeiro caso confirmado dentro do navio foi de um homem de 80 anos que é proveniente de Hong Kong, embarcou no navio no dia 20 de janeiro e deixou a embarcação no dia 25 de janeiro. Apesar de ter apresentado tosse um dia antes de embarcar, o homem só começou a apresentar os demais sintomas da doença quase uma semana depois de voltar para Hong Kong e teve a infecção confirmada no dia 31 de janeiro.

O anúncio da quarentena do navio aconteceu dois dias depois que o governo japonês anunciou que iria proibir a entrada de pessoas que tivessem passado pela China nas últimas duas semanas. O primeiro caso de coronavírus no Japão foi registrado em 28 de janeiro e, até o momento, já foram registrados 40 casos da doença, sendo metade deles dentro do navio.

    Veja Também

      Mostrar mais