charge coronavírus arrow-options
Reprodução/Niels Bo Bojesen/Jyllands-Posten
Na charge, vírus da doença substituem as estrelas da bandeira chinesa

Uma charge divulgada nesta segunda-feira (27) pelo jornal dinamarquês Jyllands Posten irritou as autoridades da China, ao substituir as estrelas da bandeira do país asiático por moléculas do coronavírus . A embaixada chinesa na Dinamarca afirmou que o desenho é um "insulto à China, que fere o povo chinês". 

Leia também: Passageiro "desaparece" em corrida e mensagem desesperada de motorista viraliza

O surto do coronavírus teve início na China . Mais de 100 pessoas já morreram no país e outras 4.500 estão infectadas pela doença. A embaixada chinesa argumentou que a charge excedeu o "limite ético da liberdade de expressão". Por isso, a entidade exigiu que o jornal e o cartunista, Niels Bo Bojesen, realizassem uma desculpa pública ao povo chinês. 

Contudo, o editor do jornal, Jacob Nybroe, declarou nesta terça-feira (28) que "não podemos nos desculpar por algo que não achamos que está errado. Não temos a intenção de humilhar, nem de brincar, e não acreditamos que a charge o tenha".

Leia também: Adolescente morre e outros quatro são internados após beberem "loló"

A charge do coronavírus não é a única polêmica internacional de liberdade de expressão que o veículo Jyllands Posten se envolveu. Em 2005, um desenho do profeta islâmico Maomé fez com que diversos protestos violentos contra o jornal ocorressem pelo mundo árabe.

    Veja Também

      Mostrar mais