Coiote arrow-options
Reprodução/Facebook
Segundo informações da polícia, foram registrados dois ataques na região em poucas horas

Um morador da cidade de Kensington, no estado norte-americano de New Hampshire, viveu momentos de tensão na última segunda-feira (20), quando teve que lutar com um coiote para salvar a vida do filho de apenas dois anos. Sem qualquer arma disponível, ele acabou matando o animal com as próprias mãos.

Leia também: Em entrevista, Damares esclarece e nega suposto sequestro da filha Lulu

Em entrevista à CNN, Ian O'Reilly revelou que estava passeando com o filho quando o coiote mordeu a jaqueta da criança e começou a arrastá-lo pela neve. Foi neste momento que ele saltou sobre o animal e conseguiu prendê-lo com a ajuda do peso de seu corpo.

"Eu nunca tinha machucado um animal na minha vida, então essa foi uma experiência muito estranha. No início, eu tentei apenas afastá-lo com alguns chutes, mas ele me mordeu duas vezes e não tive alternativa", disse O'Reilly.

Ele contou que conseguiu prender o animal no chão e segurou seu focinho perto da neve enquanto o prendia pelo pescoço. Ao todo, a batalha, da qual diz não se lembrar com clareza, durou cerca de dez minutos. No fim, o mais importante foi ter mantido o filho, que não sofreu ferimentos, em segurança.

"Consegui sufocar o coiote com o meu peso. Fiquei nessa posição até que ele parasse de respirar. Naquele momento, você não pensa muito, apenas age. Ainda não consegui processar tudo o que aconteceu", finalizou.

Outro ataque

Mais cedo, a polícia de Kensington já havia recebido uma notificação de um ataque de coiote em outra residência: uma mulher estava sentada na varanda com os dois cachorros quando o animal investiu contra eles.

Segundo postagem nas redes sociais, Pat Lee foi mordida e teve que enfrentar o coiote para evitar que ele entrasse em sua casa, para onde os dois cães haviam fugido após o ataque inicial.

Leia também: "Ex-namorada não aceitava término", diz família de motoboy incendiado no Rio

Agora, a polícia realizará exames de DNA no corpo do coiote morto por O'reilly para identificar se ele foi o responsável pelos dois ataques a partir das mordidas nas vítimas, que receberão vacinas antirrábica.

    Veja Também

      Mostrar mais