Tamanho do texto

Aliado do regime de Nicolás Maduro e proclamado presidente da Assembleia Nacional junto com Juan Guaidó, Luis Parra também está na lista

Steven Mnuchin arrow-options
US Embassy Jerusalem
Secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin

O governo dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira (13) novas sanções contra sete parlamentares da Venezuela , incluindo Luis Parra , aliado do governo de Nicolás Maduro proclamado presidente da Assembleia Nacional ao mesmo tempo que o opositor Juan Guaidó foi reeleito para o cargo.

Em comunicado, o secretário do Tesouro americano, Steven Terner Mnuchin, afirmou que o seu departamento "aplicou sanções a sete funcionários corruptos da Assembleia Nacional que, a favor de Maduro, tentaram impedir o processo democrático na Venezuela".

Leia também: Venezuela perde direito a voto na ONU e país culpa EUA por isso

Além de Parra, de 41 anos, os deputados que foram sancionados são: José Brito, Franklyn Duarte, Negal Morales, José Gregorio Noriega, Conrado Perez e Adolfo Ramón Superlano.

No último dia 5 de janeiro, o aliado de Maduro assumiu a presidência da Câmara, em um ato considerado como um"golpe de Estado" pelos seguidores de Guaidó. Na ocasião, o proclamado presidente da Venezuela, reconhecido pelos EUA e mais de 50 países, foi impedido de entrar na Assembleia Nacional.

Leia também: Juan Guaidó convoca manifestações para os próximos dias na Venezuela

"As sanções podem ser retiradas para esses e outros funcionários se eles se alinharem com o povo da Venezuela e Juan Guaidó como líderes legítimos", acrescenta a nota do Departamento do Tesouro.