Filhote de canguru fica preso a cerca nas colinas de Adelaide e morre carbonizado
Brad Fleet / The Advertiser
Filhote de canguru fica preso a cerca nas colinas de Adelaide e morre carbonizado

As chamas que atingem as florestas nos estados de Nova Gales do Sul e Vitória, na Austrália, já fizeram com que milhares de pessoas fossem retiradas de áreas de risco e causou, segundo a Universidade de Sydney, a morte de cerca de 500 milhões de animais, entre eles um filhote de canguru registrado pelo fotógrafo Brad Fleet, do jornal local "The Advertiser". A imagem do animal carbonizado preso a uma cerca de arames nas colinas de Adelaide repercutiu nos veículos de comunicação e redes sociais e ilustra a tragédia causada pelos incêndios no país.

Leia também: Herói sem capa! Jovem enfrenta incêndios na Austrália e já salvou nove coalas

O pequeno animal ficou preso quando fugia das chamas em Cudlee Creek, cidade no Sul da Austrália . Ele não conseguiu se desprender e morreu queimado. Segundo a 'Seven News", somente nos incêndios de Cudlee Creek, 5.790 animais morreram nos incêndios, incluindo gado, alpacas e animais de estimação.

E os  incêndios florestais que já devastaram quase 60 mil km² na Austrália tendem a se agravar ao longo deste fim de semana, por conta de uma nova onda de calor que deve manter os termômetros acima dos 40°C. Atrelado a fortes rajadas de vento, o fenômeno pode disseminar ainda mais as  chamas , que já mataram 23 pessoas.

Você viu?

8 mil coalas mortos

Desde setembro, o fogo engoliu casas e florestas e devastou a fauna. Segundo a Universidade de Sydney, quase meio bilhão de animais morreram apenas em Nova Gales do Sul. O número inclui répteis, aves e mamíferos. No Parlamento, a ministra do Meio Ambiente, Sussan Ley, afirmou que cerca de um terço dos coalas no país sucumbiu aos incêndios — algo em torno de 8 mil animais

Com o temor de que a nova onda de calor faça com que as chamas se multipliquem, autoridades conduziram ontem resgates com embarcações da Marinha. Milhares de pessoas isoladas em praias foram retiradas e levadas a Hastings, cidade próxima a Melbourne.

Leia também: Incêndios na Austrália: 23 mortos, cortes de energia e evacuações em massa

O primeiro-ministro, Scott Morrison, chegou a reclamar da falta de cooperação internacional depois de resistir a pedir ajuda estrangeira. EUA e Canadá encaminharam bombeiros, e a Cruz Vermelha auxilia no acolhimento dos mais afetados. Alvo de críticas pela política ambiental considerada negacionista, Morrison foi hostilizado ontem em visita à cidade de Cobargo. Na véspera, um bombeiro se recusou a cumprimentá-lo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários