Donald Trump e Kim Jong-un
Divulgação / Shealah Craighead / Oficial White House
Negociações entre Donald Trump e Kim Jong-un estão paradas desde fevereiro

O enviado especial dos Estados Unidos à Coreia do Norte, Stephen Biegun, durante uma conferência de imprensa na Coreia do Sul, nesta segunda-feira (16), pediu ao governo de Pyongyang que retome as negociações sobre desnuclearização. "Está na hora de fazermos o nosso trabalho. Vamos tratar disto. Nós estamos aqui e vocês sabem como chegar a nós", afirmou.

Leia também: Governo brasileiro inaugura escritório comercial em Jerusalém

O enviado especial reuniu-se com o vice-ministro sul-coreano dos Negócios Estrangeiros, Cho Sei-young, e com o presidente Moon Jae-in numa tentativa de salvar as negociações que estão paradas desde fevereiro, quando o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte,  Kim Jong-un , falharam em alcançar um acordo.

Naquele mês, o presidente norte-coreano insistiu que as sanções norte-americanas ao seu país fossem levantadas, algo que Trump recusou. Desde então, a tensão entre os dois países tem aumentado e Kim Jong-un já ameaçou romper definitivamente as negociações.

Leia também: Mãe mata filhas de 1 e 3 anos porque crianças "atrapalhavam vida sexual"

Natal e paz

O enviado especial dos EUA disse esperar que a época natalícia “inaugure uma fase de paz”. Por outro lado, no início de dezembro, Pyongyang tinha alertado os Estados Unidos que podiam preparar-se para uma “prenda de Natal” caso não colaborassem em relação ao levantamento das sanções.

Stephen Biegun considerou as insinuações da Coreia do Norte “hostis, negativas e totalmente desnecessárias”, acrescentando que os Estados Unidos “possuem um objetivo, não um prazo”.

Leia também: Mulher planeja casamento com assassino em série que está em corredor de morte

Os Estados Unidos exigem que a Coreia do Norte renuncie a todo o seu arsenal atômico, mas Pyongyang já alertou que, se Washington não fizerem uma proposta aceitável, encontrará “uma forma alternativa”, sugerindo um possível recomeço dos testes com mísseis.

    Leia tudo sobre: donald trump

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários