Imagens registradas por sobreviventes mostram o tamanho da cortina de fumaça
Reprodução/Twitter/Michael Schade @sch
Imagens registradas por sobreviventes mostram o tamanho da cortina de fumaça

Uma equipe militar neozelandesa encontrou seis dos oito corpos dos turistas que permaneciam desaparecidos após a erupção, na segunda-feira (9), do vulcão Whakaari, numa ilha desabitada da Nova Zelândia.

Leia também: "Militares são o último obstáculo para o socialismo", diz Bolsonaro em evento

A operação, que envolveu oito membros das forças especiais do país, ainda não terminou, disse o comissário de Polícia da Nova Zelândia , Mike Bush, referindo-se às duas pessoas que ainda não foram localizadas.

"Acreditamos que pelo menos uma delas está na água e a outra talvez na ilha ou também na água", disse o chefe de polícia, lembrando as condições adversas para as buscas, diante da possibilidade de nova erupção .

Bush também esclareceu que os seis corpos resgatados, provavelmente australianos, serão transferidos para a cidade de Auckland para serem identificados formalmente, após cerimônia simbólica com as famílias que se reuniram em Whakatane.

Você viu?

A erupção do vulcão deixou pelo menos 16 mortos.

Dezessete feridos estão internados nas unidades de queimados de hospitais neozelandeses, 13 em estado crítico, depois de as autoridades australianas terem repatriado 11 dos cidadãos feridos.

Leia também: São Paulo tem mais pessoas morando na rua que população de 457 cidades paulistas

Muitas dessas pessoas têm queimaduras em mais de 80% do corpo e lesões internas devido à inalação de gases.

O Whakaari entrou em erupção na segunda-feira à tarde, quando 47 pessoas - entre elas australianos, britânicos, neozelandeses, norte-americanos, malaios e chineses - visitavam a ilha privada.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários