Tamanho do texto

"Ele quebrou a porta da minha casa, mas eu sou forte. Escolheu a casa errada para invadir", disse Willie Murphy, moradora de Nova York, nos EUA

Idosa arrow-options
Reprodução/CNN
"Ele escolheu a casa errrada para invadir", disse Willie Murphy

Um caso de invasão domiciliar na cidade de Rochester, no estado norte-americano de Nova York, acabou de forma bastante dolorida para o acusado. Tudo porque ele acabou sendo derrubado e espancado pela dona do local, uma idosa de 82 anos que tem o halterofilismo como seu principal hobby.

Leia também: PM que matou ao confundir ferramenta com arma trabalhava "com ódio", diz colega

Segundo informações da CNN, tudo aconteceu no final da última semana. A idosa , identificada como Willie Murphy, estava se preparando para deitar quando ouviu batidas em sua porta da frente. Ao chegar na sala, viu que havia um homem no local, que lhe pedia para chamar uma ambulância e que lhe deixasse entrar na residência.

Como mora sozinha, ele ligou para a polícia e disse que não deixaria o rapaz entrar. Neste momento, ele começou a ficar bastante irritado e, de tando bater, acabou conseguindo derrubar a porta da casa.

"Estava um pouco escuro, eu estava sozinha e sou velha . Porém, adivinha: sou bastante forte . Ele escolheu a casa errada para invadir", disse Willie à reportagem, enquanto mostrava os músculos do braço.

Ela, que treina todos os dias em uma academia no bairro em que mora e que já venceu competições de levantamento de peso, contou que usou a mesa da sala de estar, além de uma vassoura e até shampoo de cabelo para segurar o invasor.

"Peguei a mesa e comecei a bater nele. Como ela quebrou, passei a usar as pernas para continuar o processo", lembrou ela. Na sequência, após alguns chutes, ela correu até o banheiro, onde pegou o frasco de shampoo e usou o conteúdo para atingir o homem nos olhos. Já caído, ele ainda foi atingido por alguns golpes de vassoura, o que terminou o serviço.

Leia também: PT reelege Gleisi como presidente e fala em aproximação com o centro político

"Ele estava bastante machucado e pensou em fugir. Eu até tentei ajudar, mas ele era muito pesado e dificultava o processo. Eu não conseguia movê-lo, era praticamente um peso morto. Quando a polícia chegou, ele estava estirado no chão, sem forças, porque eu fiz realmente um bom trabalho", disse ela.

Retirado da casa, o invasor foi colocado em uma ambulância e encaminhado para um hospital da região. "Acho que ele estava apenas feliz de poder ficar longe de mim", finalizou a idosa .