Rodovia Interoceânica Sul
Reprodução
Rodovia Interoceânica Sul

Desde o início da semana, milhares de flamenguistas viajam à capital do Peru, Lima , para acompanhar de perto a partida final da Copa Libertadores da América, que acontecerá neste sábado. Para os que escolheram carro ou ônibus para chegar ao destino, o caminho envolve um trajeto polêmico: a rodovia Interoceânica do Sul, envolvida em suspeitas de corrupção. 

Leia mais:  Confira tudo que você precisa saber antes do vestibular da Fuvest

A estrada, inaugurada em 2011 com o objetivo de facilitar o comércio entre os dois países, começa em Porto Velho, capital de Rondônia, e segue até o Peru. A construção passou a ser observada após um desdobramento da operação Lava Jato, que investigou quatro ex-presidentes peruanos, por diferentes denúncias.

Uma delas, relacionada à construção de trechos da rodovia, aponta uma propina de US$ 21 milhões (cerca de R$ 88 milhões) ao ex-presidente Alejandro Toledo - preso em julho deste ano -  por parte das das empresas Odebrecht e Camargo Correa em troca da concessão das obras de vários pontos.

Outro envolvido nas investigações da Lava Jato peruana, Alan García, faleceu em abril deste ano após atirar contra a própria cabeça no momento em que seria preso para aguardar julgamento sobre financiamento irregular de campanha, lavagem de dinheiro e tráfico de influência.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários