Tamanho do texto

Helicóptero de Evo teve que fazer pouso de emergência no dia 4 deste mês devido a problemas mecânicos. Ex-presidente está asilado no México

Evo Morales arrow-options
Reprodução/Twitter
Saída de Morales deixou os bolivianos sem um chefe de Estado

O ex-presidente da Bolívia Evo Morales disse nesta sexta-feira (22) que está convencido que sofreu uma tentativa de atentado no dia 4 de novembro. Na ocasião, o helicóptero em que ele estava teve que realizar um pouso de emergência devido a problemas mecânicos.

Leia também: Bolívia pode revogar decreto que exime militares de crimes em legítima defesa

"Surpreendentemente, o helicóptero baixou. Eu ainda estava pensando que era por um problema, mas agora estou convencido de que foi um ataque", afirmou Evo Morales , em entrevista realizada pelo ex-presidente equatoriano Rafael Correa para a rede de televisão russa RT .

Evo ainda acusou o comandante geral da Força Aérea boliviana, o general Jorge Gonzalo Terceros Lara, de ser o mandante da ação que classificou como tentativa de assassinato . Logo após o incidente, o então presidente afirmou que os fatos seriam investigados.

Durante a entrevista, ele lembrou ainda que naquele mesmo dia Fernando Camacho , seu opositor e um dos nomes de destaque de sua saída do governo, disse a seus seguidores que a era Morales estava chegando ao fim.

“Naquele dia, Camacho disse: 'Na segunda-feira, vão ver como Evo vai cair, vamos mostrar em vídeo'. E à noite, depois que sua vida foi salva, ele não mostrou nada. Ele queria mostrar como o helicóptero Evo caiu e como Evo morreu”, disse Morales.

Leia também: Colombianos fazem protestos contra governo de Iván Duque

Evo Morales está asilado no México desde o dia 12 de novembro. Ele renunciou à presidência da Bolívia poucos dias após anunciar sua reeleição em função de uma série de protestos violentos no país. A Bolívia passa por uma grave crise política e Evo denuncia ter sido vítima de golpe.