guiné
Reprodução/ jornal guineematin
Cidadãos tem tomado as ruas contra uma 3ª reeleição de Alpha Condé, o atual presidente de Guiné desde 2010

Os conflitos contra presidentes não estão restritos apenas à América do Sul. Desde o dia 23 de setembro intensos protestos contra o presidente Alpha Condé acontecem na Guiné, país da África Ocidental.

Leia também: Após série de protestos, Chile anuncia plebiscito sobre nova Constituição

De acordo com o jornal local Guineematin , só nesta quinta-feira (14) três pessoas com idades de 16, 19 e 32 anos foram baleadas por homens das forças des segurança e morrem. A informação foi passada pelas famílias das vítimas diretamente para a mídia da Guiné .

Os próprios organizadores dos protestos anunciaram nesta sexta-feira (15) que foram registradas 17 mortes em cerca de 30 dias, durante os atos nas ruas. A manifestação de ontem foi a quinta organizada pela Frente Nacional de Defesa da Constituição, plataforma que reúne grupos da sociedade civil, sindicatos e partidos de oposição. 

Leia também: Em dia de violência, governo da Bolívia registra 10ª morte

Os protestos começaram no dia 23 de setembro depois que Condé anunciou sua intenção de participar novamente das eleições presidenciais. O presidente pediu, em Nova York, onde participava da Assembleia Geral da ONU, que fosse realizado um referendo sobre uma mudança na Carta Magna da Guiné .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários