Tamanho do texto

Vítimas eram menores e suspeitas de furtar roupas de loja em Kingston, na Inglaterra. Suspeitas começaram após homem fraudar documentação

homem arrow-options
Polícia de Kingston / Divulgação
Segurança foi preso após desconfiança de colegas

Um segurança de uma loja na cidade de Kingston, na Inglaterra , foi preso por abusar sexualmente de adolescentes que furtaram o local. Segundo a polícia, ele prometia que não contaria nada aos pais delas ou à polícia em troca dos atos sexuais.

Zia Uddin, de 27 anos, trabalhava como segurança na loja de roupas Primark e abusou de pelo menos quatro garotas, todas elas com 15 anos de idade. As meninas teriam sido pegas furtando objetos da loja e convencidas a praticar atos sexuais para que ele não prestasse queixa sobre o assunto.

Leia também: Em regime semiaberto por pedofilia, homem é preso por estuprar própria filha 

As suspeitas sobre Zia começaram quando colegas de profissão perceberam que ele não tinha entregue boa parte da papelada e tinha pedido que imagens de câmeras de segurança do local fossem deletadas. "Essa tem sido uma terrível provação para parentes e familiares. Nós sentimos muito pelo que eles têm sofrido. Nossos pensamentos estão com eles”, afirmou um porta-voz da Primark em declaração oficial.

No tribunal, Zia afirmou que todas as vítimas eram mentirosas e que ele não cometeu nenhum dos crimes. Apesar disso, o homem foi sentenciado à prisão por estupro e por quatro casos de abuso sexual de menores de idade. 

O tribunal ainda não decidiu quanto tempo de prisão será aplicado ao segurança .