José Kinn Franco dando entrevista coletiva
Reprodução
José Kinn Franco falou sobre a situação da Bolívia na Câmara dos Deputados

O embaixador da Bolívia, José Kinn Franco, esteve nesta terça-feira (12) na Câmara dos Deputados para falar sobre a situação do seu país e acusou movimentos de extrema direita pela renúncia do ex-presidente Evo Morales. "Foi organizado, programado e foi estruturado especialmente pela extrema direita do nosso país. Que é uma extrema direita muito conservadora, violenta, racista e que está agora fazendo perseguição das lideranças do nosso partido", afirmou.

Segundo Franco, essa articulação não é recente e já vem desde antes das eleições. "Quero fazer a denúncia deste golpe que foi construído já antes das eleições", disse o embaixador.

Leia também: Evo Morales desembarca no México e promete 'continuar luta'

Ele agradeceu a solidariedade dos partidos de oposição brasileiros que se manifestaram a favor de Moralese e afirmou que não está mantendo contato com o ministério de Relações Exteriores do Brasil, mas que isso deve acontecer assim que o cenário se definir na Bolívia. "Estamos esperando ver como terminam os acontecimentos na Bolívia para entrar em contato com o governo Brasileiro", disse o embaixador, que promete renunciar ao cargo em breve.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários