Evo Morales
Reprodução/Twitter
Evo Morales

O secretário das Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard, afirmou neste domingo (10) que o país ofereceu asilo ao ex-presidente da Bolívia, Evo Morales. O secretário afirmou ainda que o México manterá sua posição de respeito à democracia e classificou a situação da Bolívia como golpe.

Leia também: Após renúncia de Morales, Bolívia vive 'vácuo' de poder e clima de incerteza

De acordo com Ebrard, o México recebeu pelo menos 20 membros do Executivo e Legislativo boliviano na residência oficial em La Paz. "O México, em conformidade com sua tradição de asilo e não intervenção, recebeu 20 personalidades do executivo e legislativo boliviano na residência oficial em La Paz, por isso decidimos também oferecer asilo a Evo Morales", escreveu.


"Na Bolívia, há uma operação militar em andamento, nós a rejeitamos, é semelhante aos eventos trágicos que consagraram nossa América Latina no século passado. O México manterá sua posição de respeito à democracia e às instituições. Golpe não", afirmou.

Evo Morales renunciou após ter sido pressionado publicamente pelo comando das Forças Armadas e da Polícia e até por sindicatos próximos ao governo. Horas antes, ele havia convocado uma nova eleição presidencial por conta das irregularidades na apuração detectadas pela Organização dos Estados Americanos (OEA).

Leia também: Manifestantes saqueiam casa de Evo Morales

O presidente do México, o socialista Andrés Manuel Lopez Obrador, elogiou a decisão de Morales e afirmou que o ato de convocar novas eleições foi um "triunfo da democracia". Sempre existem atitudes, há uma vontade autoritária de querer resolver as coisas com confronto, com violência", disse o mexicano em um vídeo postado em sua conta do Twitter. "O melhor método para resolver diferenças é o democrático."

    Veja Também

      Mostrar mais