Evo Morales
Reprodução/Twitter/evoespueblo
Evo Morales renunciou à presidência da Bolívia e denunciou golpe

Manifestantes opositores a Evo Morales saquearam a casa do ex-presidente da Bolívia na noite deste domingo (10). Imagens divulgadas pelo jornal El Deber mostram dezenas de pessoas dentro do imóvel, que teve os cômodos revirados e as paredes pichadas com xingamentos como "filho da p...".

Leia também: Após renúncia de Morales, Bolívia vive 'vácuo' de poder e clima de incerteza

Em seu perfil no Twitter, Evo Morales denunciou que "grupos violentos" assaltaram sua residência. "Os golpistas que assaltaram minha casa e a de minha irmã, incendiaram residências, ameaçaram ministros e seus filhos de morte e humilharam uma prefeita agora mentem e nos culpam pelo caos e violência que eles provocaram", escreveu o ex-presidente.

Manifestantes encapuzados também invadiram a Embaixada da Venezuela na Bolívia. A Colômbia pediu uma reunião de emergência do Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA) para discutir a crise.

A OEA detectou fraudes na eleição presidencial de 20 de outubro, o que fez Morales convocar um novo pleito. Apesar disso, pressões das Forças Armadas, da Polícia, da oposição nas ruas e até de sindicatos pró-governo o forçaram a renunciar.

Leia também: Evo Morales relata "violência de golpistas" após renunciar à presidência

Todos os integrantes da linha sucessória também entregaram seus cargos, e a Bolívia está sem comando no momento. A Constituição determina que uma eleição seja convocada em até 90 dias no caso de a vacância da Presidência não ser preenchida pelo vice ou pelos mandatários do Senado ou da Câmara.

    Veja Também

      Mostrar mais