Tamanho do texto

Protestos na capital Chilena foram em maior parte pacíficos, mas nesta sexta manifestantes entraram em diversos confrontos com as forças de segurança

Chile arrow-options
Reprodução/Twitter
Grupo radical de manifestantes ateou fogo na sede da Universidade de Pedro Valdivia.

A capital Santiago , no Chile , voltou a ser cenário de vandalismo e violência causados por manifestantes mascarados, apesar da maior parte dos protestos ocorrer de forma pacífica. Nesta sexta-feira (8) milhares de manifestantes voltaram às ruas e um grupo ateou fogo na sede da Universidade de Pedro Valdivia

Segundo informações do G1, a fumaça era vista à distância e chegou a afetar algumas pessoas que protestavam próximo ao local. Apesar das proporções do incêndio, não houve relatos de feridos em decorrência do fogo.

Leia mais: Procuradoria investiga 23 mortes durante protestos no Chile

O grupo também saqueou a Paróquia de La Asunción, edificada em 1876, além de ser uma das igrejas mais importantes de Santiago .

Bancos foram levados, a fachada foi pichada e o confessionário junto com as imagens do santuário foram queimados em barricadas. As forças de segurança e manifestantes se enfrentaram em diversas partes de Santiago.