Tamanho do texto

Polícia usou teste de DNA e colheu diversos depoimentos até chegar ao nome da acusada, que pagou fiança de R$ 100 mil e responderá em liberdade

EUA arrow-options
Divulgação/ Larimer County Sheriffs Office
Jennifer Katalinich foi presa na última terça-feira na cidade de Erie, no estado do Colorado (EUA)

Um caso de assassinato, que havia sido encerrado por falta de provas e reaberto em 2016 após nova tentativa dos investigadores, foi solucionado 23 anos depois. Na última sexta-feira (28), a polícia do Colorado, nos Estados Unidos, prendeu uma mulher pela morte de um bebê no dia 24 de agosto de 1996.

Leia também: Golpe em Flordelis? Preso pode ter fingido ser policial para extorquir deputada

Na ocasião, policiais da delegacia do condado de Larimer responderam a um chamado na Reserva Horsetooth, onde dois adolescentes encontraram uma sacola com o corpo de bebê . Após exame de óbito, ficou confirmado o homicídio por asfixia e sufocamento.

O caso da ' bebê Faith ', como ficou conhecido, chegou a ser investigado, mas acabou sendo arquivado e permaneceu sem respostas por diversos anos. Até que, em 2016, as autoridades resolveram reabrir o processo e realizar novos testes de DNA nas amostras coletadas no local em que a recém-nascida foi encontrada.

Segundo informações da rede de TV norte-americana NBC, os investigadores não informaram como tais procedimentos auxiliaram nas buscas, mas afirmaram que, três anos após a reabertura, mais precisamente em julho passado, conseguiram reduzir o número de suspeitos para cinco.

"Uma análise mais aprofundada nos mostrou que quatro desta pessoas poderiam ter mais informações sobre o caso ou algum tipo de envolvimento", informou a nota divulgada pela assessoria de departamento de polícia responsável pelas buscas.

No último dia 06 de outubro, os agentes entrevistaram três dos possíveis suspeitos, mas todos acabaram sendo descartados. Com isso, restou apenas o nome de um homem, morador de Maryland, que apontou uma mulher como a possível responsável pelo crime.

Foi assim, segundo a publicação, que a polícia chegou ao nome de Jennifer Katalinich , de 42 anos, moradora da cidade de Erie, também no Colorado. "Baseado nas informações obtidas nas entrevistas, determinamos que ela poderia ter dados pertinentes sobre o caso para esclarecer", apontou o comunicado emitido pela polícia.

Leia também: Menino de 11 anos detido seis vezes no mesmo ano é espancado até a morte

Na última sexta-feira (28), um mandado de prisão foi expedido e Katalinich foi detida. Entretanto, ela pagou fiança de 25 mil dólares (cerca de R$ 100 mil) e foi liberada. Agora, responderá em liberdade pelos crimes de assassinato em primeiro e segundo grau.

Na terça (3), a acusada participou da primeira audiência sobre o caso e é esperada no tribunal no início de 2020, segundo informou seu advogado. Um dos pontos que as autoridades pretendem confirmar é se ela era a mãe da criança ou não.