Bolsonaro durante entrevista coletiva em Tóquio, no Japão
José Dias/PR
Bolsonaro durante entrevista coletiva em Tóquio, no Japão

Ao desembarcar em Pequim, na China, que comemorou o 70º aniversário da revolução comunista no início do mês de outubro, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que queria se manter equidistante da guerra comercial entre o país oriental e os EUA, mas garantiu: “Estou em um país capitalista ”.

O presidente, que chegou ao país de Xi Jiniping nesta quarta-feira (24) após cumprir agenda no Japão , afirmou que quer uma inserção “sem ideologia” na economia mundial em busca do desenvolvimento nacional.

Leia também: Jornal diz que Bolsonaro deixou de hostilizar a China por interesses econômicos

Mesmo que superficialmente, Bolsonaro comentou sobre a pressão dos Estados Unidos contra a expansão do 5G, sem adiantar como o Brasil licitará a operação da tecnologia em 2020. “A Huawei está fora do nosso radar”, garantiu.

Mesmo após colocar a China ao lado de outros países socialistas durante campanha presidencial, Bolsonaro garantiu que “não veio aqui falar de política” quando chegou ao país. À noite, ele participará de um jantar oferecido pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf. O encontro com o presidente só ocorrerá na sexta.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários