Placas da União Europeia e do Reino Unido representando o Brexit
Pixabay
Brexit pode ser adiado mais uma vez; nova data final deve ser 31 de janeiro

O primeiro-ministro do Reino Unido conseguiu aprovar na noite da última terça-feira (22) o acordo do Brexit no Parlamento britânico. Com 329 a 299 votos, a proposta de Boris Johnson foi finalmente aceita na Câmara dos Comuns. Mesmo assim, o prazo final de saída da União Europeia (UE), que estava marcado para o dia 31 de outubro, não deve ser respeitado.

Leia também: Reino Unido e União Europeia chegam a acordo sobre o Brexit

A aprovação do acordo do Brexit acontece sete meses depois da última rejeição ao projeto da ex-primeira-ministra Theresa May. A vitória por uma vantagem de 30 votos foi maior do que o esperado, uma vez que 19 representantes da oposição a Boris Johnson votaram a favor da proposta.

O primeiro-ministro tentou acelerar a tramitação para que a saída se concluísse até o dia 31 de outubro, atual prazo final acordado com a União Europeia . Os parlamentares, no entanto, barraram a possibilidade de uma saída corrida, mesmo após Johnson ter ameaçado convocar novas eleições gerais. Ele agora está obrigado a solicitar um novo adiamento da saída, o terceiro desde o referendo, em 2016.

Leia também: Bolsonaro ameaça isolar a Argentina no Mercosul se Macri for derrotado

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, declarou que vai recomendar à União Europeia que aceite o pedido do Reino Unido de adiar a data para a saída do bloco. Para ele, a decisão visa a evitar um Brexit sem acordo. Se a extensão for aprovada por unanimidade por todos os membros do bloco, o novo prazo para a saída deve ser o dia 31 de janeiro de 2020.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários