Tamanho do texto

Mulher assassinou criança de 8 anos para se vingar da separação do ex-marido. Caso ocorreu no Canadá e mulher foi condenada a prisão perpétua

mãe mata filha arrow-options
Reprodução/Mirror
Corpo da criança foi guardado no porta-malas do mesmo carro em que a mãe tentou suicídio.

Com o final do casamento, Lisa Batstone assassinou a própria filha para se vingar do ex-companheiro , Gabe Batstone. O caso aconteceu em Surrey, British Columbia, no Canadá. 

A menina Teagan, de 8 anos, foi assassinada por asfixia pelas mãos de Lisa, que tentava evitar que a guarda da criança ficasse sob responsabilidade do pai. 

Mas a polícia foi acionada para atender um caso relacionado à acidente no trânsito. Um automóvel tinha colidido dentro de um beco sem saída. O carro era o de Lisa e, no porta-malas, estava o corpo de Teagan. 

Leia mais: Criminosos vendem bebês recém-nascidos para pais que estão na fila de adoção

A colisão foi uma tentativa de Lisa tirar a própria vida após ter matado Teagan. O impacto não foi capaz de causar morte. Lisa foi encontrada com o cadáver da filha. A princípio, a polícia local acreditou que a morte da criança teria sido provocada pelo acidente, mas peritos perceberam que a colisão foi pequena para esse tipo de consequência.

A confissão de Lisa sobre o assassinato da filha aconteceu enquanto a polícia apurava o caso da colisão. Ela confessou ter matado a filha e alegou que merecia morrer, por isso, teria tentado suicídio com o próprio carro.

Segundo informações apuradas pelo Mirror, Lisa enviava diversas mensagens para Gabe durante o dia, a ponto do ex-marido passar a responder todas as demandas apenas uma vez por semana, de tanto conteúdo que encaminhado via e-mail e telefone. 

Leia também: Homem nu é preso após atacar estranho com bicicleta

O comportamento de Lisa estava fora de parâmetros normais cerca de seis anos após a separação. A maior vítima era a criança, que sofria com alienação parental.

O crime cometido contra Teagan foi planejado por Lisa, levando em consideração as provas encontradas pela polícia no local do crime, segundo apurou o Mirror. 

A justiça canadense condenou Lisa a prisão perpétua pelo assassinato de Teagan.