Tamanho do texto

Nesta quarta (9), o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles afirmou que óleo no litoral nordestino do Brasil era “muito provavelmente” da Venezuela

Ricardo Salles  meio ambiente óleo arrow-options
Reprodução/Instagram Ricardo Salles
Ricardo Salles visitou praias em Sergipe para avaliar manchas de óleo

Após o ministro do Meio Ambiente  Ricardo Salles afirmar, nesta quarta (9), que o óleo encontrado em 138 praias do Nordeste brasileiro seria da Venezuela , o país se defendeu e disse que a acusação é tendenciosa .

Leia também: Salles diz que óleo no Nordeste vem "muito provavelmente" da Venezuela

A estatal venezuelana de petróleo, PDVSA, afirmou, em nota divulgada em seu site nesta quinta (10), que as alegações são infundadas . Explica que “ não há evidência de derramamentos de óleo nos campos de petróleo da Venezuela que poderiam ter causado danos ao ecossistema marinho do país vizinho”.

Destacam também que o óleo encontrado está a 6.650 km de distância da petrolífera. "Condenamos essas reivindicações tendenciosas", afirma a estatal do governo de Nicolás Maduro .

A afirmação do ministro tem como base um estudo da Petrobrás . No entanto, ele havia defendido que o petróleo teria vindo de um navio estrangeiro , não de uma petrolífera do país vizinho.

"Esse petróleo que está vindo, muito provavelmente da Venezuela , como disse o estudo da Petrobras , é um petróleo que veio por um navio estrangeiro, ao que tudo indica, navegando próximo à costa brasileira , com derramamento acidental ou não”, afirmou o ministro nesta quarta (9).

Leia também: Espuma parecida com neve invade praia no Rio de Janeiro

Contudo, a estatal da Venezuela ressalta que não soube de nenhum caso de vazamento próximo à costa brasileira de seus cliente ou subsidiárias.