Manifestantes haviam sido proibidos de usar máscaras nos protestos
Reprodução/CNN International
Manifestantes haviam sido proibidos de usar máscaras nos protestos

Manifestantes foram às ruas mais uma vez neste sábado (5) em Hong Kong. Eles desafiaram a proibição de uso de máscaras em protestos imposta pelo governo. Os atos foram marcados por confrontos e fechamento de estações de metrô.

Leia também: Líder de protestos em Hong Kong disputará eleições

A chefe-executiva de Hong Kong , Carrie Lam, havia proibido o uso de máscaras sob a justificativa de invocar medidas de emergência para restaurar a ordem na região e identificar "black blocs" nos atos populares, que acontecem há quatro meses. Mais de mil pessoas foram às ruas questionar a decisão de Lam.

As violações da proibição podem provocar penas de até 1 ano de prisão, além de uma multa de 25 mil dólares de Hong Kong. A nova norma sobre as máscaras não é utilizada desde 1967 e entrou em vigor neste sábado (5). O objetivo é "criar um efeito dissuasor contra manifestantes mascarados e violentos e ajudar a polícia em sua missão de manter a ordem".

Você viu?

Diversos confrontos entre manifestantes e agentes foram registrados, além de vandalismo e depredação em bancos e estabelecimentos comerciais. 

Leia também: Pessoas protestam após manifestante ser baleado em Hong Kong

A maior parte das estações de metrô de Hong Kong ficaram fechadas porque a operadora ferroviária MTR disse que não conseguiu retomar os serviços, pois os reparos ainda estavam sendo feitos nas estações danificadas. Um serviço de ônibus limitado seria fornecido.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários