Tamanho do texto

Um grupo de 16 jovens ativistas, incluindo Greta Thunberg, afirmam que os países violam direitos das crianças por não enfrentar mudanças climáticas

Greta Thunberg arrow-options
Reprodução/Instagram Greta Thunberg
Greta Thunberg discursou na Cúpula do Clima das Nações Unidas nesta segunda-feira (23)

Um grupo de 16 jovens ativistas, incluindo a sueca Greta Thunberg, apresentou nesta segunda-feira (23) uma denúncia contra o Brasil e mais quatro potências - Alemanha, Argentina, França e Turquia - ao Comitê das Nações Unidas (ONU) para os Direitos das Crianças.

Leia também: Donald Trump faz aparição surpresa na cúpula do clima da ONU

Greta Thunberg e os outros signatários sustentam que a incapacidade desses Estados de enfrentar a crise climática constitui uma "violação dos direitos" dos menores de idade. Além disso, exortam o comitê a ordenar que os cinco países atuem para proteger as crianças dos efeitos "devastadores" das mudanças climáticas .

A denúncia é assinada por jovens entre oito e 17 anos provenientes de 12 países, incluindo Greta, sueca que lidera a greve global de estudantes em prol do meio ambiente.

"Faço isso porque os líderes do mundo estão fracassando em proteger os direitos dos menores, continuando a ignorar a crise climática", disse Greta. A sueca é uma das estrelas da cúpula da ONU sobre o clima, que acontece em Nova York.

Leia também: Eduardo Bolsonaro rebate Bachelet: "Não precisamos de pena"

O evento antecede a abertura da sessão de debates da Assembleia Geral das Nações Unidas, que ocorre nesta terça (24), com a presença do presidente Jair Bolsonaro. O governo brasileiro é alvo de pressões internacionais por causa das queimadas na Amazônia e deve usar o palco da ONU para se defender das acusações de negligência na proteção da floresta.