Tamanho do texto

Alfredo Stroessner governou o país de maneira autoritária entre 1954 e 1989; o achado foi feito por manifestantes que ocuparam a residência

ossos arrow-options
Reprodução
Ossos foram encontrados na casa do ditador

Ossos humanos foram encontrados na última quarta-feira (4) em uma das casas do ex-ditador paraguaio Alfredo Stroessner (1912-2006), que governou o país de maneira autoritária entre 1954 e 1989. O achado foi feito por manifestantes que ocuparam uma das residências de Stroessner em Ciudad del Este, que fica na fronteira com o Brasil. O caso foi revelado pelo jornal ABC Color.

Leia também: De herói a ditador: morre Robert Mugabe, que comandou o Zimbábue de 1980 a 2017

Os ossos foram encontrados no que parece ser o banheiro do local, no espaço em que possivelmente havia uma banheira. A residência fica em um prédio localizado no terreno conhecido na cidade como “A Casa do Terror”, por conta das torturas que aconteceram no local contra opositores do regime.

No dia 24 de agosto, cerca de 300 famílias ocuparam o prédio onde ficava o apartamento do ex-ditador. De acordo com o ABC Color , dois dias depois, um dos netos de Stroessner se identificou como o atual responsável pelo imóvel.

Familiares de vítimas do período ditatorial foram ao local para verificar os restos mortais, e a Comissão de Direitos Humanos, assim como o Ministério Público do país, também devem participar das atividades de reconhecimento das ossadas.

A Equipe Nacional para Investigação, Busca e Identificação de Pessoas Detidas e Desaparecidas entre 1954 e 1989 (Enabi) foi chamada pelo procurador regional Alcides Giménez Zorrilla para averiguar as ossadas.

Em fevereiro, o general Stroessner foi publicamente elogiado pelo presidente brasileiro Jair Bolsonaro, que chamou o paraguaio de “estadista”. “[Um] homem de visão e estadista, que sabia perfeitamente que seu país, Paraguai, só poderia prosseguir, progredir, se tivesse energia (…) Então aqui, a minha homenagem ao general Alfredo Stroessner”, disse.

Leia também: África do Sul promete agir após dez pessoas morrerem em ataques xenófobos

O paraguaio deu um golpe de Estado em 1954 e foi “eleito” em um pleito indireto, sem participação da oposição. Ao assumir o poder, Stroessner suprimiu garantias constitucionais e começou um período de dura repressão.