Tamanho do texto

Serviço de vistos não tem vaga para agendamento de processos. Órgão teve maior número de imigrantes em Portugal desde 1976, com 480 mil pessoas

Aeroporto de Lisboa arrow-options
Reprodução/ANA
Quase 3 mil brasileiros foram impedidos de entrar em Portugal no último ano

Sem vagas para o agendamento de parte dos processos de vistos para imigrantes, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) de Portugal ainda nem sabe quando será aberto o calendário de 2020. Superlotado, o órgão admite problemas para agendar atendimentos cruciais para a permanência legal no país, como a renovação de residência e o reagrupamento familiar.

Este ano, o SEF registrou o maior número de imigrantes em Portugal desde 1976, com 480 mil pessoas. O Brasil é a maior colônia, com 105.423 residentes legais, um recorde desde 2012 e um aumento de 23% em relação ao ano anterior. O problema no SEF é reflexo deste grande fluxo.

Leia também: Portugal é exemplo de inclusão de imigrantes para a ONU 

Neste sábado, já não era possível agendar o serviço de renovação de título de residência em Lisboa, Porto, Braga e Faro, quatro dos mais procurados postos da rede de atendimento do SEF.

Além da grande demanda, o Sindicato dos Trabalhadores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras tem informado que o SEF sofre com  a falta de mão de obra e do investimento em meios tecnológicos. Este ano, diz o sindicato , o serviço precisou transferir inspetores, que poderiam trabalhar nos postos de atendimento, para aeroportos de Porto, Lisboa e Faro.

Apesar da ampliação do horário de atendimento até às 20h, ficando aberto por cerca de 12 horas diárias, não está sendo possível atender a todas as solicitações.

Leia também: Número de brasileiros barrados em Portugal mais que dobrou em 2018

No início de agosto, o SEF abriu oito mil vagas para tentar evitar problemas relacionados à superlotação e diz ter dado prioridade aos processos de maior procura, como a renovação de autorização de residência e o reagrupamento familiar.

No primeiro semestre, o SEF atendeu 155 mil estrangeiros e tem 141 mil agendamentos marcados até o fim deste ano. Para o calendário de 2020, que ainda não tem data para começar, o SEF pretende abrir o agendamento de maneira parcelada, em fases, e após “avaliar uma estratégia para aumentar a capacidade de atendimento do serviço e implementação de medidas tecnológicas”.