Tamanho do texto

"Não vai haver nem golpe de Estado, nem governo de fato, nem transição alguma", disse Padrino López; o país passa por uma crise política e econômica

Agência Brasil

Ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino López arrow-options
Twitter/Reprodução
Ministro da Defesa venezuelano, Vladimir Padrino López disse que os militares vão "defender a democracia"

O ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino López, negou a possibilidade de uma tentativa de golpe de Estado no país, ou uma transição política que a oposição considera necessária para acabar com a crise.

Leia também: Candidato da oposição argentina questiona "abusos" na Venezuela de Maduro

"Não vai haver nem golpe de Estado, nem governo de fato, nem transição alguma", disse ele sobre a situação da Venezuela nesta terça-feira (13). "Aqui não vai se instalar qualquer governo porque as Forças Armadas estão conscientes das suas obrigações morais e constitucionais".

Padrino López acrescentou que os militares vão "defender a democracia" e o "presidente Nicolás Maduro , eleito pelo povo".

A crise política, econômica e social venezuelana agravou-se desde janeiro deste ano, quando o presidente da Assembleia Nacional (Parlamento, onde a oposição detém a maioria), Juan Guaidó , se autoproclamou presidente interino da Venezuela.

Leia também: Fuga de desertores do governo Maduro para o território brasileiro se intensifica

A oposição, que conta com o apoio de mais de 50 países, defende que para resolver a crise Maduro deve ser afastado do poder, deve ser designado um governo de transição e convocadas eleições livres e transparentes.

Mais de 4 milhões de pessoas abandonaram a Venezuela , desde 2015, de acordo com dados da Organização das Nações Unidas (ONU).