Tamanho do texto

“Meu sentimento, além de alegria e orgulho, é também de humildade. Caberá ao Senado Federal dar a palavra final", reiterou o deputado federal

Eduardo arrow-options
Alan Santos/PR
Eduardo Bolsonaro já fala como embaixador em nota oficial: "Árduo trabalho"

Em nota divulgada nesta sexta-feira, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) disse ter recebido com alegria e orgulho a notícia da concessão, pelo governo americano, do agrément — que na linguagem diplomática significa autorização — para que ele possa assumir a embaixada brasileira em Washington. Eduardo afirmou que, se seu nome for aprovado no Senado, pretende promover um “diálogo estreito” com o Legislativo, os ministérios e a comunidade brasileira naquele país.

Leia também: "Vida de Moro não é fácil, mas ele vai superar os obstáculos", diz Bolsonaro

“Meu sentimento, além de alegria e orgulho, é também de humildade. Caberá ao Senado Federal dar a palavra final e, se meu nome for aprovado, haverá um intenso e árduo trabalho a ser realizado. Tenho consciência de que meu êxito dependerá, sobretudo, da colaboração e do diálogo estreito com o legislativo, os diversos ministérios e as forças vivas da sociedade, notoriamente a comunidade brasileira nos Estados Unidos da América”, diz um trecho da nota assinada por Eduardo Bolsonaro .

O deputado disse, ainda, que o sim dos EUA confirmam o apoio e a confiança já demonstradas pelo presidente Donald Trump . Em dois momentos recentes, Trump tornou pública sua satisfação em ter o filho do presidente Jair Bolsonaro como embaixador do Brasil.

Na primeira vez, elogiou Eduardo durante uma conversa com jornalistas em Washington. A segunda manifestação do presidente americano foi um bilhete escrito com o próprio punho que acompanhou o agrément, recebido na quinta-feira pelo Itamaraty.

“O sinal verde dos Estados Unidos da América, portanto, é motivo de orgulho para mim, ao confirmar o apoio e a confiança já expressas de viva voz pelo presidente Donald Trump na minha capacidade de ser um representante do Brasil à altura do desafio de construir uma nova relação bilateral. Um sentido verdadeiramente estratégico, para assim aprofundar a cooperação e promover a segurança, a prosperidade e o bem-estar de brasileiros e norte-americanos”.

Leia também: Gilmar Mendes vê crise no Judiciário, defende Lula e ataca "teor político" da Lava Jato

Ele lembrou que o instituto do agrément foi criado para que um país possa examinar o nome do representante estrangeiro antes de sua indicação formal. A ideia é evitar constrangimentos desnecessários e assegurar que o nome cogitado seja acolhido pelo governo local.

Eduardo Bolsonaro se reuniu, nesta manhã, com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. Na parte da tarde, fontes ligadas ao parlamentar disseram que a agenda dele será no Senado.