Tamanho do texto

Segundo ministro da Defesa chinês, a "ameaça" do separatismo em Taiwan está crescendo; território já se considera independente desde 1949

Xi Jinping arrow-options
Reprodução/News.cn
Governo de Xi Jinping publicou "livro branco" sobre defesa nacional contendo questão de Taiwan

Em um "livro branco" sobre defesa nacional publicado nesta quarta-feira (24), a China afirma que não renunciará ao uso da força para retomar o controle de Taiwan, país independente que Pequim considera parte de seu território, e promete adotar todas as medidas militares necessárias para derrotar os "separatistas".

Leia também: Vítimas de 'ataques sônicos' em Cuba apresentam alterações no cérebro

No documento, o governo chinês põe a questão independentista em Taiwan como uma de suas "máximas prioridades", assim como o combate ao nacionalismo no Tibete e ao separatismo islâmico na província de Xinjiang.

O " livro branco " reúne as diretrizes da política da China para defesa nacional e, neste ano, destaca que a abordagem do país é "defensiva", mas que haverá "contra-ataques" caso necessário. Segundo o porta-voz do Ministério da Defesa, Wu Qian, a "ameaça" do separatismo no território está "crescendo".

"Se alguém ousar separar Taiwan da China, o Exército chinês certamente lutará para defender a soberania do país e sua integridade territorial", alertou Wu.

Leia também: "Maduro se mantém no poder por possuir apoios externos", diz Ernesto Araújo

Taiwan  é independente desde 1949 e recentemente causou irritação em Pequim por fechar um acordo para comprar US$ 2,2 bilhões em armamentos dos Estados Unidos, alegando a existência de uma "crescente ameaça militar" por parte da China.