Tamanho do texto

Ministra afirmou que não existe nepotismo na indicação do deputado ao cargo de embaixador e exaltou o currículo do filho do presidente; entenda

Damares Alves arrow-options
Reprodução/Twitter
Damares defendeu Eduardo Bolsonaro como embaixador do Brasil nos EUA

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, defendeu a possível indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para chefiar a embaixada do Brasil nos Estados Unidos. Ela afirmou ainda que o filho do presidente é "uma das pessoas mais capacitadas no Brasil". 

Leia também: "Trabalho humilde", diz Eduardo Bolsonaro sobre emprego em fast food nos EUA

“A primeira coisa que nós temos que falar é que não existe nepotismo nessa indicação, tá? Segundo, é possível um civil que não seja da carreira diplomática ser embaixador? Claro que é, a lei prevê isso", disse Damares . "Terceiro: e se ele for indicado, o presidente está errando? O presidente está escolhendo uma das pessoas mais capacitadas no Brasil”, argumentou, em entrevista à Nossa Rádio USA. 

Damares está em Miami e embarca para Washington nesta quarta-feira (17), onde irá participar de um evento sobre liberdade religiosa. Na entrevista, a ministra afirmou ainda que Eduardo Bolsonaro é "um menino culto e inteligente" e exaltou o currículo do deputado. 

“Eduardo muito jovem passou no vestibular da UFRJ, que quem é do Rio sabe que é um dos vestibulares mais difíceis de passar. Fala três idiomas. Passou no concurso da Polícia Federal. Um jovem extremamente preparado, um menino culto, um menino inteligente, um parlamentar extremamente bem avaliado e hoje na Comissão de Relações Exteriores", disse.

"Não é uma pessoa que vai entrar nesse universo sem conhecer as relações exteriores, conhece. Eu estou tranquila com a decisão de meu presidente, seja qual for a decisão que ele tomar. Eu acredito na capacidade de discernimento e na inteligência de meu presidente”, completou Damares.

Nesta terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro não confirmou se realmente vai indicar o filho para assumir a embaixada do Brasil nos Estados Unidos e brincou dizendo que o parlamentar "frita hambúrguer também".