Tamanho do texto

Eles consideram que o tratado 'é contrário ao interesse nacional' da França e temem pela situação dos agricultores do país

Cerca de 50 parlamentares franceses do partido de oposição Os Republicanos (LR, na sigla em francês) disseram "não" ao acordo entre os blocos Mercosul e União Europeia, classificando o tratado comercial de "erro econômico e horror ecológico", em artigo de opinião publicado neste domingo no jornal francês "Le Parisien".

Leia também: Bolsonaro reconhece que acordo Mercosul-UE se deve 'em parte' a Temer

Bolsonaro e Macron
Frederico Mellado/ARG
Bolsonaro e Macron


Para os signatários do texto, o acordo com o Mercosul "é contrário ao interesse nacional". Seus autores reivindicam, por exemplo, as condições comerciais dos agricultores.

Leia também: Chanceler argentino chora após conclusão de acordo entre Mercosul e UE

"Como justificar a imposição de cada vez mais normas aos nossos agricultores franceses , se abrimos as portas para produções agrícolas que não as respeitam?", questionam.

Esses parlamentares (o LR tem cerca de 100 cadeiras na Assembleia Nacional francesa, em um total de 577) defendem "criar uma barreira ecológica" nas fronteiras da Europa para "impedir a importação de países que não respeitam as normas ambientais francesas".

Eles consideram, ainda, que o acordo "daria o golpe de misericórdia" nos agricultores e pecuaristas franceses e prometem se mobilizar "na Assembleia Nacional e no Parlamento europeu" para que este "funesto acordo não seja ratificado".

Entre os signatários, estão o deputado e candidato à presidência do partido, Guillaume Larrivé, e o eurodeputado e ex-ministro do Interior Brice Hortefeux.

Leia também: Pedidos de refúgio de venezuelanos na União Europeia crescem 121%

Mercosul e União Europeia firmaram, em 28 de junho, um grande tratado de livre-comércio, negociado há 20 anos, e que envolve cerca de 770 milhões de consumidores.