Tamanho do texto

No ano passado, a empresa já havia disponibilizado voos gratuitos para reunir famílias de imigrantes separadas pela política de "tolerância zero" de Trump

Donald Trump acenando
Divulgação/Casa Branca/Shealah Craighead
Endurecimento de medidas anti-imigração por Donald Trump separou famílias de imigrantes nos Estados Unidos


A companhia aérea mexicana Volaris lançou nesta quinta-feira o programa "reagrupamento familiar", oferecendo voos a apenas US$ 1 a imigrantes da América Central que estão no México e queiram voltar a seus países de origem até 30 de junho.

No ano passado, a empresa já havia disponiblizado voos gratuitos para  reunir famílias de imigrantes separadas pela política de "tolerância zero" do presidente americano  Donald Trump .

Leia mais:  Nome da nova Boeing-Embraer exclui brasileira e confirma soberania da americana

Agora, os imigrantes que queiram voltar para Costa Rica, El Salvador e Guatemala poderão fazer pagando US$ 1 e taxas nos aeroportos de Tijuana, Ciudad Juarez, Guadalajara e Cidade do México. Para isso, precisam levar apenas um documento de identidade.

"Desta forma, a Volaris reforça seu compromisso de unir famílias e colaborar oferecendo uma solução alternativa para o fenômeno migratório dos últimos meses", disse a empresa em um comunicado.

Leia mais:  Trump anuncia acordo migratório com o México e suspende taxação de produtos

Na quinta-feira, os presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, e salvadorenho, Nayib Bukele, lançaram um programa de desenvolvimento econômico para a América Central com um investimento inicial de US$ 30 milhões.

Os mandatários se encontraram na cidade mexicana de Tapachula, na fronteira com a Guatemala , ponto de passagem para centenas de milhares de centro-americanos que tentam chegar aos Estados Unidos escapando da pobreza e da violência.

Leia mais:  Aumento da repressão no México joga imigrantes na mão de traficantes de pessoas

"Iniciamos com mais de US$ 30 milhões de transferência direta dentro de um programa que contempla mais de US$ 100 milhões", disse o chanceler mexicano Marcelo Ebrard ao apresentar o programa.

Nesta sexta-feira, Ebrard anunciou que o México se reunirá com 19 países para discutir um plano de desenvolvimento para a América Central, como parte dos esforços para impedir a imigração ilegal para os Estados Unidos.  

    Leia tudo sobre: Donald Trump