Tamanho do texto

Pré-candidato democrata à presidência dos Estados Unidos afirmou, em entrevista ao The Intercept, que o ex-presidente brasileiro merece ser solto

bernie sanders
Divulgação - 22.02.2016
Senador e pré-candidato à presidência dos EUA Bernie Sanders pede liberdade para Lula e anulação da condenação

O senador e pré-candidato norte-americano à presidência Bernie Sanders afirmou ao jornal The Intercept  nos Estados Unidos – o mesmo que, em sua versão brasileira, publicou reportagens polêmicas e reveladoras no último domingo (9) – que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi preso em "um processo politizado". Para o democrata, a condenação de Lula deve ser anulada.

Leia também: Imprensa internacional repercute vazamento de conversas entre Moro e Dallagnol

"Hoje, é mais claro do que nunca que Lula da Silva foi preso em um processo politizado que negou a ele um julgamento justo e o devido processo legal", afirmou o pré-candidato democrata à presidência dos Estados Unidos. A fala de Bernie Sanders faz referência ao vazamento de mensagens entre o ex-juiz e atual ministro da Justiça e da Segurança Pública Sergio Moro e procuradores da Lava Jato.

No último domingo, a versão brasileira do The Intercept  publicou quatro reportagens que denunciavam, por meio de mensagens entre Moro e o procurador Deltan Dallagnol , da Lava Jato em Curitiba, um comportamento que gerou dúvidas quanto à integridade e a imparcialidade de Moro no andamento dos processos que coordenou, quando era juiz federal. 

"Durante sua presidência, Lula proporcionou enormes reduções na pobreza e continua sendo o político mais popular do Brasil . Eu estou com líderes políticos e sociais de todo o mundo que estão pedindo ao Judiciário brasileiro para libertar Lula e anular sua condenação", disse Sanders em um comunicado enviado ao The Intercept .

Leia também: Hacker usou conta de jornalista para fazer ameaças a Dallagnol e à Lava Jato

Além disso, o deputado norte-americano Ro Khanna, da Califórnia, pediu à administração Trump para que apoie uma investigação relacionada ao caso. "Esta reportagem confirma o que sabíamos o tempo todo – que Moro era um mau ator e parte de uma conspiração maior para mandar Lula para a cadeia", disse Khanna ao site.

"Embora não seja para os Estados Unidos fazerem um julgamento factual sobre a inocência de Lula,  essa reportagem mostra que Moro não era imparcial e atuava coordenado com os promotores", afirmou o deputado. "Isso viola todas as normas e ética judiciais. Espero que a administração Trump apoie uma investigação completa sobre este assunto, uma vez que Lula ainda está na prisão e Moro é ministro da Justiça de Bolsonaro".

Bernie Sanders aproveitou a publicação da matéria para divulgar o caso em suas redes sociais e reafirmou seu apoio ao ex-presidente Lula. 

    Leia tudo sobre: lula