Tamanho do texto

Um total de 206.500 pedidos de refúgio foi registrado pela Easo; número de colombianos também aumentou, enquanto o de sírios diminuiu em 8%

união europeia
Pixabay/Creative Commons
Sede da União Europeia na Bélgica

O número de novos requerentes de refúgio na União Europeia voltou a aumentar. Desde o início de janeiro até o final de abril, um total de 206.500 pedidos de refúgio foi registrado pela Agência Europeia de Apoio ao Asilo (Easo, na sigla em inglês). No mesmo período de 2018, eles contabilizaram cerca de 179 mil.

Leia também: Trump comemora acordo 'muito bem-sucedido' sobre imigração com México

Segundo os registros, aumentou o número de requerentes de refúgio de países cujos cidadãos podem entrar no espaço Schengen (acordo entre países da União Europeia ) sem necessidade de visto. Estes incluem Venezuela, Colômbia, Albânia e Geórgia.

A Venezuela, que entrou recentemente em grave crise política e econômica, está em segundo lugar, depois da Síria, entre os países de origem dos maiores grupos de solicitantes de refúgio. O Afeganistão ocupa a terceira posição.

O número de requerentes de refúgio da Venezuela aumentou em 121%, para 14.257, nos primeiros quatro meses deste ano, em relação ao mesmo período de 2017. E 8.097 pessoas chegaram vindas da Colômbia, cifra 156% maior do que no mesmo período do ano anterior.

Pediram refúgio 20.392 pessoas vindas da guerra civil na Síria. O número caiu em 8%. Do Afeganistão, 14.042 pedidos foram registrados, 36% a mais do que um ano antes.