Tamanho do texto

Ashin Wirathu crítico do governo e da comunidade muçulmana em Myanmar

Monge Ashin Wirathu
Divulgação
Monge Ashin Wirathu ficou conhecido como o "Bin Laden Budista"

A Justiça de Myanmar ordenou a prisão do monge Ashin Wirathu, que é conhecido pelo governo  local como o "Bin Laden Budista". O líder religioso é conhecido por seus discursos inflamados contra os políticos e a comunidade muçulmana do país.

Leia também: Capoeirista brasileiro morre após ser espancado por grupo em Londres

De acordo com a Justiça, o pedido de prisão para Bin Laden Budista foi expedido por conta de um suposto discurso nacionalista que o monge teria feito na última semana. A polícia foi orientada a procurar pelo foragido em Mandalay, onde ele mantém um monastério.

O monge é uma figura controversa nos países budista asiáticos e ganhou fama em 2012, quando conflitos entre budistas e muçulmanos terminaram em mortes em Myanmar. Naquela época, Wirathu virou porta-voz da comunidade contra o radicalismo islâmico.

Nos anos posteriores, ele se tornou o líder de um grupo radical nacionalista que acabou expulsando 700 mil pessoas de religião islâmica de Myanmar.

Caso seja condenado, Ashin Wirathu pode pegar até três anos de prisão por discursos nacionalistas. No entanto, de acordo com a lei de Myanmar, o monge terá que ser julgado também por um tribunal budista para ser condenado.