Tamanho do texto

Presidente norte-americano negou buscar mudança de regime em Teerã e disse que acordo nuclear com a Coreia do Norte será assinado "algum dia"

Donald Trump no Japão
Reprodução/Twitter
No Japão, Trump defende novo acordo nuclear com o Irã

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou nesta segunda-feira (27) ser possível chegar a um novo acordo nuclear com o Irã, além de garantir que o objetivo de Washington não é a mudança de regime.

“Eu realmente acredito que o Irã queira fazer um acordo, acho que é bem inteligente da parte deles, acho que existe uma possibilidade de acontecer”, afirmou Trump , em declaração à imprensa em Tóquio, durante visita oficial ao Japão . Para ele, o Irã pode “ser um grande país, com a mesma liderança”, mas sem a presença de armas nucleares.

Em maio de 2018 o governo americano abandonou o acordo que estabelecia limites ao programa nuclear iraniano , conhecido pela sigla JCPOA (Plano de Ação Conjunto Global, em inglês). O plano foi assinado em 2015 por Rússia, China, Alemanha, Reino Unido, França e pelos EUA, além do Irã, oferecendo alívio das sanções econômicas em troca do comprometimento das autoridades iranianas.

Leia também: Irã vai se defender contra qualquer iniciativa bélica dos EUA, garante chanceler

Mas durante a campanha à Casa Branca, em 2016, Trump não economizou críticas, prometendo retirar o país do acordo caso fosse eleito.

Além das sanções já existentes e retomadas após a saída dos EUA foram aplicadas novas medidas, incluindo sobre as exportações de petróleo, maior fonte de renda do Irã. Alguns setores do governo, inclusive, não escondem a preferência por uma ação militar, como o Conselheiro de Segurança Nacional, John Bolton.

Por enquanto a estratégia de pressão máxima não deu resultados práticos. Os outros países do acordo nuclear tentam evitar um fracasso. Já o Irã afirmou que não pretende se reunir com representantes americanos para desenhar um novo texto.

Além do Irã, o presidente americano também falou sobre a Coreia do Norte , que realizou novos testes com mísseis balísticos nas últimas semanas, colocando em dúvida o compromisso de Pyongyang com iniciativas para pacificar a região. Mesmo assim Trump demonstrou otimismo.

Leia também: Presidente do Irã sugere referendo sobre programa nuclear

“Meu pessoal diz que houve uma violação, como sabem. Eu vejo isso de outra maneira - eu vejo como um homem, talvez ele (Kim Jong-un) esteja querendo atenção. Talvez não. Quem sabe?”, disse o presidente, antes de confirmar que um acordo sairá “algum dia” . Trump ainda chamou o líder norte-coreano, Kim Jong-un, de “homem inteligente”, e defendeu o diálogo direto entre a Coreia do Norte e o Japão .

A visita de quatro dias de Trump ao Japão, iniciada no domingo (26), ainda terá como prioridade as discussões sobre comércio internacional, especialmente em tempos instáveis nas relações entre Washington e Pequim.