Tamanho do texto

Com 345 cadeiras, Modi conquista maioria absoluta para comandar Índia pelos próximos cinco anos

Entrada de colégio eleitoral na Índia
Mariana Tokarnia/Agência Brasil
As eleições na Índia levam cerca de 900 milhões de pessoas às urnas

O primeiro-ministro indiano Narendra Modi, líder do partido Bharatiya Janata (BJP), foi eleito com folga para comandar o país por mais cinco anos. Até o momento, a Alliança Nacional Democrática, grupo comandado por sua legenda, está na frente com 345 assentos. Um grupo ou coalizão precisa de ao menos 272 cadeiras para ter a maioria da Lok Sabha, a casa menor do Parlamento.

Leia também: UE inicia hoje a eleição 'mais importante da história' para o bloco; entenda

Narendra Modi foi eleito na maior eleição democrática do mundo, com cerca de 900 milhões de pessoas aptas a votar. O resultado do pleito, encarado como um referendo sobre a popularidade do atual governo, é um voto de confiança no primeiro-ministro.

No Twitter, o líder indiano comemorou: "Juntos, nós crescemos. Juntos, prosperamos. Juntos, iremos construir uma índia mais forte e inclusiva. A Índia é, novamente, vitoriosa".

Antes da eleição , a maior parte dos analistas acreditava que a insatifação com a economia levaria o BJP a perder assentos no Parlamento . Modi, entretanto, utilizou o aumento das tensões com o Paquistão para mostrar seu pulso firme com questões de segurança nacional.

Leia também: Seis pessoas morrem em protesto contra presidente na Indonésia

Durante a campanha, Modi buscou se projetar como um líder forte, capaz de proteger o país e melhorar a economia indiana. Com retórica nacionalista, sutis incentivos a polarização religiosa e programas sociais, o premier conseguiu a reeleição mesmo em meio a um cenário interno complicado.

Segundo a BBC , analistas apontam que a ampla vitória de Modi também é uma resposta da população à fraca oposição indiana, que ainda não concedeu formalmente. À rede britânica, o porta-voz do Congresso, principal partido de oposição ao BJP, disse que a derrota é uma surpresa.

"Nós não esperávamos esta derrota", afirmou Jaiveer. "Não soubemos comunicar bem nossas promessas eleitorais".

Leia também: Denunciado pelos EUA, ataque químico na Síria não pode ser comprovado

Possivelmente, os próximos cinco anos de Narendra Modi no comando do país do sul asiático não serão fáceis. Com altos índices de desemprego, as produções agrícola e industriais enfrentam quedas. A população foi fortemente afetada pela desmonetização da moeda indiana — na ocasião, o governo cancelou a maior parte das células em circulação, sob a justificativa de acabar com o armazenamento de dinheiro decorrente de atos ilícitos — enquanto empresários ficaram insatisfeitos com mudanças nos impostos sobre as vendas.