Tamanho do texto

Família de brasileiros encontrados mortos em apartamento em Santiago pretendia retornar ao Brasil para o velório da matriarca, em Santa Catarina

Família de brasileiros
Reprodução/Facebook
Família de brasileiros é encontrada morta por inalação de gás que vazou em apartamento alugado no Chile

Antes de passarem mal e perderem o contato com parentes , os  brasileiros encontrados mortos  nessa quarta-feira (22) em apartamento de Santiago, no Chile, planejavam o retorno ao Brasil. Eles haviam recebido a notícia da morte da matriarca da família , Iete Isabel Muniz, em Santa Catarina, vítima de câncer. Segundo a prima Noemi Fortunato Nascimento, as vítimas pretendiam acompanhar a despedida dela, mas falaram pela última vez com os familiares às 15h desta quarta-feira.

"Quando tudo estava acontecendo lá no Chile , nós estávamos velando a mãe deles aqui no Brasil. Eles iriam voltar para o velório", contou Noemi.

Iete Isabel morreu na madrugada de quarta-feira, horas antes dos filhos e netos. Ela era mãe de Débora Muniz Nascimento de Souza, de 38 anos, e Jonathas Nascimento Kruger, de 30. Os dois eram mãe e padrinho de Karoliny Nascimento de Souza, que ganhara a viagem ao Chile de presente pelo aniversário de 15 anos. Com eles, celebravam o pai da debutante, Fabiano de Souza, de 41 anos; o irmão dela, Felipe Nascimento de Souza, de 13; e a mulher de Jonathas, Adriane Krueger, de 27.

Segundo informações do portal G1 , Iete Isabel foi cremada na manhã desta quinta-feira em Palhoça, na Grande Florianópolis. Os últimos posts de Débora nas redes sociais exaltavam o amor e a união da família. Fotos publicadas na webmostram passeios da família no Chile.

Leia também: Sem-teto se forma como orador da turma e ganha R$ 12 milhões em bolsas de estudo

No último contato, os parentes se queixaram de mal-estar, e um familiar no Brasil acionou o cônsul-adjunto brasileiro no Chile, que então foi ao apartamento com policiais. As janelas do imóvel estavam fechadas. A capital chilena tinha seu dia mais frio neste outono, com temperaturas abaixo de zero grau, o que levou moradores a ligarem os sistemas de calefação. Os bombeiros arrombaram a porta do apartamento e viram os corpos.

Os bombeiros suspeitam que os turistas tenham se intoxicado em razão de um vazamento de gás . Bombeiros esvaziaram o edifício e, após realizarem medições no ar do imóvel, detectaram altas concentrações de monóxido de carbono — um gás que não emite odor e cuja inalação pode ser fatal.

A polícia interditou as ruas vizinhas ao edifício e iniciou uma investigação para determinar a causa das mortes dos turistas.

De acordo com Noemi, a família entrou em contato com a Polícia Federal e agora avalia como e quando repatriar os corpos.