Tamanho do texto

Lindsey Glass responderá por negligência criminosa; o atirador Spencer Hight estava com quatro vezes mais álcool no sangue do que o permitido por lei; ele invadiu a casa da ex-mulher armado, matou oito pessoas e se suicidou

Bartender Lindsey Glass
Divulgação
Bartender Lindsey Glass foi indiciada por negligência criminosa por servir álcool para homem que matou oito pessoas

No dia 10 de setembro de 2017, na cidade de Plano, no Texas, o mestre de obras desempregado Spencer Hight invadiu a casa de sua ex-mulher, Meredith Lane, portando um rifle, uma espingarda e uma pistola e abriu fogo contra a ex-esposa e um grupo de amigos, que assistiam a um jogo de futebol americano juntos.

Leia também: Sobrevivente do ataque de Las Vegas é uma das vítimas de atentado na Califórnia

Hight matou oito pessoas, entre elas, a ex-companheira Meredith Lane e James Richard Dunlop, que foi o padrinho do casamento dos dois. A polícia invadiu a residência e atirou contra o assassino, que também acabou morrendo no local. Agora, dois anos depois, uma pessoa foi indiciada pelo tiroteio que abalou a pacata cidade texana.

A bartender  Lindsey Glass, presa desde o mês passado, foi indiciada nesta terça-feira (7) por negligência criminosa. De acordo com a promotoria, ela serviu álcool para o atirador quando ele já estava visivelmente embriagado e, portanto, seria responsável pela atitude drástica que culminou em nove mortes.

De acordo com o exame de autópsia, o nível de álcool no sangue do atirador estava quatro vezes acima do limite legal. Em alguns estados dos Estados Unidos, incluindo o Texas, restaurantes, bares e outros estabelecimentos não podem servir pessoas que já estão visivelmente embriagadas.

Glass, que era amiga de Spencer Hight e Meredith Lane, chegou a ser convidada para assistir ao jogo de futebol americano na casa onde o tiroteio aconteceu, mas não pode comparecer porque estava no trabalho. Ela pode pegar até um ano de prisão.

Na época do tiroteio, no entanto, Glass foi elogiada pela polícia, que chegou a dizer que ela evitou uma tragédia ainda pior. Assim que o atirador deixou o bar, a bartender, preocupada com o amigo, acionou o serviço de emergência.

"É uma vergonha para o Departamento de Polícia de Plano ir atrás da pessoa que foi vital na tentativa de impedir os terríveis acontecimentos daquela noite", disse Scott Palmer, advogado de Glass, através de um comunicado oficial.

De acordo com a lei, no entanto, um profissional ou estabelecimento comercial é proibido de fornecer "bebida alcoólica a um bêbado habitual ou a uma pessoa intoxicada ou insana".

Leia também: Tiroteio em escola e deixa ao menos dez mortos no Texas; atirador foi detido

Um relatório apresentado pela Comissão de Bebidas Alcoólicas do Texas (TABC) à promotoria foi o estopim para a prisão de Glass. Nas câmeras de segurança do bar, é possível ver o atirador cambaleando.

A situação ficou ainda mais grave após as autoridades acessarem o histórico de mensagens da bartender , que disse a um colega que Hight estava "bebado" e ainda informou que ele estava com uma faca e uma pistola e teria dito a ela, antes de deixar o bar, que precisava "fazer um trabalho sujo"