Tamanho do texto

Presidente faz pronunciamento na TV, enquanto líder opositor Juan Guaidó convoca mais manifestações na Venezuela para esta quarta-feira (1º)

CARACAS - O presidente da Venezuela , Nicolás Maduro, anunciou na noite desta terça-feira (30) a substituição do chefe do Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin).

Leia também: Entenda os acontecimentos na Venezuela em dia marcado por protestos e violência

nicolás maduro
Reprodução/Twitter
Maduro troca o chefe do Serviço Bolivariano de Inteligência na Venezuela, enquanto Juan Guaidó convoca manifestações

Em pronunciamento na TV — sua primeira aparição nesta terça-feira desde o início da revolta comandada pelo líder opositor Juan Guaidó —, Maduro, ladeado pelo ministro da Defesa, Vladimir Padrino, e o presidente da Assembleia Nacional Constituinte, Diosdado Cabello, e diversos comandantes militares, indicou o general Gustavo González López de volta ao cargo que era ocupado por Manuel Cristopher Figuera.

Segundo a rede de TV americana Fox News , Figuera deixou carta rompendo com o presidente, afirmando “ter chegado a hora de procurar novas maneiras de fazer política” e de “reconstruir o país”.

Durante o pronunciamento, Maduro reconheceu que esta terça-feira foi um “dia difícil”, mas que, ao fim seus opositores “fracassaram em seu plano, fracassaram em seu chamado, porque o povo da Venezuela quer paz, salvo uma minoria”. Ele também agradeceu a lealdade das Forças Armadas pela “derrota do pequeno grupo que pretendeu levar a violência (à Venezuela) com a escaramuça golpista”.

Enquanto isso, Guaidó espera manter a pressão sobre Maduro nesta quarta-feira. Em um vídeo publicado nas redes sociais, Guaidó convocou a população a manter os protestos previstos para este 1º de maio pelo país.

Leia também: Chance de intervenção militar na Venezuela é “quase zero”, diz Bolsonaro

“O apelo à Força Armada é seguir avançando na operação Liberdade (para tirar Maduro). Amanhã, primeiro de maio, continuaremos (...). Por toda a Venezuela , estaremos nas ruas”, disse.