Imagem aéres de região alagada após passagem do ciclone Idai
Reprodução/Facebook presidente Filipe Nyusi
Antes do ciclone Kenneth, o ciclone Idai deixou grande parte do país debaixo d'água e centenas de mortos

O ciclone Kenneth, que atingiu Moçambique na última quinta-feira (25), já deixou 38 mortos, segundo atualização divulgada pelo Instituto Nacional da Gestão de Calamidades (INGC) nesta segunda-feira (29). Outras 39 pessoas ficaram feridas.

O ciclone Kenneth passou pela região de Cabo Delgado, na parte norte de Moçambique e,  apesar de ter perdido força ao chegar ao país, provocou fortes chuvas. No total, cerca de 168 mil pessoas foram afetadas.

As más condições de tempo afetam a chegada de ajuda humanitária para a região. Saviano Abreu, porta-voz do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), disse que "infelizmente, as condições climáticas estão mudando muito rápido e ameaçando a operação".

Leia também: Desastre em Moçambique é maior do que o de Brumadinho, revela militar brasileiro

Moçambique ainda se recupera da passagem do ciclone Idai, que devastou o país. Em março deste ano, o Idai destruiu 90% da cidade de Beira e deixou um rastro de grave arrasamento, com centenas de mortos e desabrigados. A catástrofe anterior também resultou ainda em uma epidemia de cólera .

Antes de atingir Moçambique, o ciclone Kenneth passou pela ilha de Comores, onde quatro pessoas morreram, de acordo com a ONU.

    Veja Também

      Mostrar mais