IstoÉ

Maria Butina
Reprodução/Facebook
O governo da Rússia, por sua vez, criticou a condenação da espiã Maria Butina, definindo-a como “inadmissível”

A russa Maria Butina, detida nos Estados Unidos em julho de 2018 sob suspeita de ser espiã do Kremlin, foi condenada a 18 meses de prisão por um tribunal federal. A sentença foi emitida na última sexta-feira (26). Em 13 de dezembro, Butina, que tem 30 anos de idade, declarou-se culpada pelo crime de conspiração contra os Estados Unidos.

Leia também: Autor de atentado em sinagoga nos EUA escreveu cartas de ódio a judeus

As autoridades acusam a russa de ter montado uma rede de contatos nos EUA para beneficiar o governo de Vladimir Putin. A espiã teria atuado entre março de 2015 e julho de 2018, quando foi presa.

Leia também: "Não pode haver negação do conhecimento", diz professor da USP 

Maria Butina aceitou cooperar com a Justiça americana e forneceu informações sobre seu ex-companheiro, um assessor do partido Republicano identificado como Paul Erickson. O governo da Rússia, por sua vez, criticou a condenação de Butina, definindo-a como “inadmissível” e alegando que a mulher é inocente. 

    Veja Também

      Mostrar mais