Tamanho do texto

Sol Pais, de 18 anos, é obcecada pelo massacre e ligou para escolas na região de Denver prometendo repetir o ataque para "celebrar" 20 anos da tragédia

Sol Pais
Reprodução
Sol Pais, de 18 anos, é obcecada pelo massacre de Columbine e ameaçou escolas na véspera do aniversário de 20 anos da tragédia

A escola de Columbine, famosa pelo massacre que vitimou 13 pessoas em 1999, e outras centenas de escolas na região de Denver, no estado do Colorado, Estados Unidos, fecharam as portas após receberem ameaças de uma jovem que promete repetir o ataque para "celebrar" os 20 anos da tragédia, que aconteceu em um dia 20 de abril.

Leia também: Polícia investiga mais um jovem por incitar massacre em escola de Suzano

A resposável pela ameaças é Sol Pais, de apenas 18 anos. De acordo com as investigações, ela seria "obcecada" pelo massacre de Columbine e seria instável mentamelte. Ainda de acordo com a polícia, existem registros de compras de armas de fogo pela jovem. Ela é considerada "armada e perigosa" pelas autoridades.

Por conta das ameaças, centenas de escolas de 24 distritos do estado do Colorado, incluindo a escola de Columbine, resolveram fechar as portas a partir desta quarta-feira (17). Estima-se que cerca de meio milhão de estudantes tiveram que ficar em casa por conta da determinação.

Sol Pais  vive na cidade de Surfside, na Flórida, e foi reportada como desaparecida pelo pais na última segunda-feira (15). Ela é estudante da Miami Beach Senior High School, que está ajudando nas investigações.

O agente especial do FBI Dean Phillips, que é um dos responsáveis pelo caso, informou que o monitoramento da agência identificou que Sol Pais desembarcou no Aeroporto de Denver pouco depois de comprar uma espingarda e munições na cidade de Littleton. Ela foi vista pela última vez no Condado de Jefferson, no Colorado, usando uma blusa preta, uma calça camuflada e botas pretas.

Leia também: Polícia prende homem que vendeu arma de fogo para atiradores de Suzano

"Os comentários e as ações dela, pelo que ouvimos de testemunhas, nos levam a crer que ela pode representar um perigo para uma escola", disse o agente. Ainda segundo o FBI, a própria família da jovem admitiu que ela pode sofrer de transtornos mentais.

Após as ameaças da jovem e o relatório do FBI, os diretores das escolas da região, incluindo Columbine, fizeram uma reunião na noite desta terça-feira (16) para determinar o fechamento dos colégios. As instituições permaneceram fechadas até segunda ordem.