Tamanho do texto

Presidente recebe título de "Homem do Ano" da Câmara de Comércio; museu diz que reserva foi feita antes de saber quem receberia a homenagem

Museu de História Natural
Reprodução/Wikimedia Commons
Museu de História Natural de Nova York teria evento em homenagem a Bolsonaro

O Museu de História Natural de Nova York, onde seria realizada a premiação de "Homem do Ano" da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, informou nesta sexta-feira (12), que está avaliando cancelar o evento ao descobrir que o homenageado será Jair Bolsonaro. 

Leia também: Bolsonaro anuncia decreto para ‘facilitar a vida’ de colecionadores de armas

“A reserva do museu para a realização do evento externo, privado, em homenagem ao atual presidente do Brasil foi feita antes que se soubesse quem seria o homenageado. Estamos profundamente preocupados, e estamos avaliando nossas opções", escreveu a conta oficial do museu no Twitter. 





Todo ano, a Câmara de Comércio escolhe uma personalidade norte-americana e uma brasileira para a homenagem, que tem cerca de mil convidados e ingressos a R$ 30 mil por pessoa. A cerimônia estava marcada para o dia 14 de maio e o Museu de História Natural já era confirmado como local oficial. Após a publicação, centenas de usuários fizeram comentários pedindo o cancelamento do evento. 

Em um comunicado divulgado em fevereiro, a Câmara justificou a escolha de Bolsonaro como " Homem do Ano " e afirmou que o título é um “reconhecimento de sua intenção fortemente declarada de fomentar laços comerciais e diplomáticos mais próximos entre Brasil e EUA e seu firme comprometimento em construir uma parceria forte e duradoura entre as duas nações". 

Leia também: "Ninguém afasta o filho do pai", diz Bolsonaro sobre prole participar do governo

Nessa segunda-feira, o presidente compartilhou a notícia em sua conta do Twitter e se disse agradecido pela "honrosa homenagem". No ano passado, o evento aconteceu no museu e o escolhido foi o atual ministro da Justiça, Sérgio Moro. O título também já foi concedido ao governador de São Paulo João Doria (PSDB), em 2017, e ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.