Tamanho do texto

Deputados foram ao país a convite da Assembleia Nacional, Congresso controlado pela oposição mas sem poder legislativo, e que se reuniriam com Guaidó

Quatro deputados do Parlamento Europeu foram expulsos da Venezuela, neste domingo (4). A motivação do ato ainda não foi explicada.

Leia também: Maduro manda militares bloquearem ponte entre Colômbia e Venezuela

Venezuela vive crise
Twitter/ @NicolasMaduro
Venezuela vive crise

Os deputados afirmam que foram ao país a convite da Assembleia Nacional, o Congresso controlado pela oposição mas que não tem poderes legislativos, e que se reuniriam com Juan Guaidó, presidente do órgão que se autoproclamou presidente interino da Venezuela .

Em um vídeo, o espanhol Esteban Gonzalez Pons, do Partido Popular Europeu, aparece ao lado dos outros parlamentares e denuncia a expulsão.

“Confiscaram nossos passaportes e não nos comunicaram o motivo de nossa expulsão”, afirmou. “Somos a primeira delegação internacional que veio à Venezuela visitar o presidente interino, Juan Guaidó . O problema não é sermos bloqueados, mas é impedir o presidente interino de se encontrar com autoridades estrangeiras na Venezuela”, disse Pons.

Assista ao vídeo dos deputadores europeus:



Leia também: EUA ofereceram oportunidade para Maduro deixar a Venezuela, diz jornalista

Guaidó atacou Maduro : "A delegação de eurodeputados convidada à Venezuela é expulsa por um regime isolado e cada vez mais irracional. É o usurpador que eleva o custo do que é um fato: a transição".

O ministro das Relações Exteriores de Maduro, Jorge Arreaza, disse pelo Twitter que as autoridades venezuelanas haviam avisado os deputados que não poderiam entrar no país.

Leia também: Guaidó convoca manifestação por ajuda humanitária na Venezuela

O regime de Maduro na Venezuela tem o apoio da Rússia, da China, da Turquia, do Irã e de Cuba. Juan Guaidó foi reconhecido por cerca de 50 países, entre eles Estados Unidos, Brasil e os europeus Reino Unido, Espanha, Alemanha, França, Dinamarca, Suécia, Áustria, Holanda e Portugal.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas