Tamanho do texto

Antes mesmo de pronunciamento, democratas disseram que proposta não inclui solução permanente e é "inaceitável"; governo do EUA está paralisado

Donald Trump também propõe três anos de proteção legislativa para jovens imigrantes ilegais
Reprodução
Donald Trump também propõe três anos de proteção legislativa para jovens imigrantes ilegais

O presidente Donald Trump propôs um plano que será enviado ao Congresso para tentar acabar com a atual paralisação parcial da máquina estatal americana, também chamada de shutdown, que entrou no 29º dia, sendo a  mais longa da história dos Estados Unidos.

Em seu plano, apresentado em um pronunciamento na Casa Branca neste sábado (19), Donald Trump propõe US$ 800 milhões para assistência humanitária, US$ 805 milhões para tecnologias de detecção de drogas, mais 2.750 agentes de fronteira e 75 novos juízes de imigração.

O presidente norte-americano também propõe três anos de proteção legislativa para jovens imigrantes ilegais e a extensão em três anos para os que têm status de proteção temporária. Em troca, Trump quer que os congressistas democratas aprovem a construção do muro na fronteira com o México orçada em US$ 5,7 bilhões. Os democratas se recusam a aprovar os recursos para a construção do muro que tem o objetivo de frear a imigração ilegal, uma das principais promessas de campanha.

Leia também: Trump cancela participação da delegação americana no Fórum Econômico Mundial

Em resposta, o presidente se recusou a assinar orçamentos de vários departamentos governamentais não relacionados com a disputa. Como resultado, cerca de 800 mil funcionários – de agentes do FBI a controladores do tráfego aéreo e funcionários de museus – não receberam salários. 

Trump diz ter poderes para declarar estado de emergência nacional e, assim,  tomar medidas extremas para conseguir a verba desejada para a construção do muro mesmo sem a autorização do Congresso . O presidente insiste em alegar que há uma crise na fronteira sul do país.

No último dia 9, o presidente dos EUA fez pronunciamento em rede nacional de televisão para reforçar seus argumentos e cobrar apoio da população em sua jornada por recursos para o muro. Segundo Trump, a adoção da medida é uma "questão humanitária". "Meus compatriotas americanos, esta noite estou falando com vocês porque há uma crescente crise humanitária e de segurança em nossa fronteira sul", afirmou. "Todos os americanos são feridos pela imigração ilegal descontrolada", disse o republicano.

Leia também: Trump e Kim Jong-un terão nova reunião em fevereiro, diz Casa Branca

Antes mesmo do pronunciamento deste sábado de Donald Trump , a presidente da Câmara, Nancy Pelosi (Democratas), disse que essa proposta é um compilado de diversas iniciativas previamente rejeitadas, que são "inaceitáveis". Segundo ela, é "improvável" que alguma dessas medidas seja aprovada na Casa.

    Leia tudo sobre: Donald Trump