Tamanho do texto

Ministro Matteo Salvini reforçou versão de que Battisti é "assassino" e prometeu "garantir" que o terrorista "passe o resto de sua vida na cadeia"

Ministro italiano Matteo Salvini:
Reprodução
Ministro italiano Matteo Salvini: "Posso garantir que Cesare Battisti passará o resto da vida na cadeia"

O ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, celebrou a prisão de Cesare Battisti, efetuada na Bolívia, e agradeceu ao presidente brasileiro, Jair Bolsonaro (PSL) por ter "tirado a proteção" do terrorista,  condenado à prisão perpétua por quatro assassinatos ocorridos na década de 1970 – aos quais Battisti nega a autoria.

Durante evento na Escola de Formação Política de Lega, em Milão, Salvini disse que a prisão de Battisti representa um "grande presente a 60 milhões de italianos". "Estamos preparando a chegada desse maldito criminoso à Itália. Obrigado a todos que possibilitaram essa mudança. [...] Ao novo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, que retirou a proteção... Porque ele [Cesare] é um assassino. Não é um escritor, ou um ideólogo", discursou o ministro.

A "proteção" mencionada por Salvini se trata do asilo político concedido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2010. Apesar do discurso do italiano, a medida foi revogada por decreto assinado ainda durante a gestão de Michel Temer (MDB), em 14 de dezembro, no dia seguinte à ordem de prisão proferida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux.

A declaração de Salvini se aproxima da mensagem escrita mais cedo por um dos filhos de Bolsonaro , o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), nas redes sociais. "Um pequeno presente está a caminho", disse Eduardo, em italiano, ao próprio Salvini.

O ministro do Interior italiano é uma das principais lideranças da extrema-direita no país europeu. Ele vem acenando ao governo brasileiro desde a eleição de Bolsonaro, que havia prometido que Salvini podia "contar conosco" em relação à extradição de Battisti .

"Quanto mais cedo ele [Cesare] puser os pés na cadeia, melhor para todos", disse o italiano em entrevista concedida neste domingo (13) a uma TV do país. "Eu posso garantir que ele vai passar o resto de sua vida na cadeia. Independentemente dos arranjos passados", completou.

Preso enquanto caminhava, com disfarce com cavanhaque e óculos de sol, por ruas da cidade boliviana de Santa Cruz de la Sierra, Cesare Battisti deve ser extraditado ainda hoje para a Itália. Os governos italiano e boliviano firmaram acordo para que o terrorista seja enviado diretamente à Roma , sem fazer escala no Brasil – como desejava o governo Bolsonaro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas