Tamanho do texto

Fontes do governo britânico dizem que premiê fará um pronunciamento hoje a respeito; votação de amanhã seria uma derrota certa para o Parlamento

Theresa May deve adiar a votação do Brexit no Parlamento de Londres, a fim de ganhar tempo para mudar seu resultado
Tom Evans/ Crown Copyright - 21.06.2016
Theresa May deve adiar a votação do Brexit no Parlamento de Londres, a fim de ganhar tempo para mudar seu resultado


A primeira-ministra britânica, Theresa May, deve anunciar, ainda nesta segunda-feira (10), que a votação decisiva do Brexit – o acordo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia – será adiada. Tal votação estava prevista para esta terça-feira (11), mas os analistas afirmam que, caso seja tomada amanhã, a decisão será contrária às intenções do Parlamento. 

Leia também: Premiê britânica defende Brexit no Parlamento e vê onda de renúncias em gabinete

As informações sobre o adiamento da votação são de fontes do governo britânico, ouvidas pela rede de televisão BBC . De acordo com a emissora, essa seria uma última manobra de Theresa May para garantir o seu tão defendido Brexit. 

Na apresentação do plano na Câmara dos Comuns, o acordo sofreu uma série de críticas, inclusive de integrantes do Partido Conservador, do qual may faz parte. Além disso, desde que foi fechado, o Brexit já foi ponto de discordância entre os parlamentares, que consideram, em sua maioria, que o texto faz muitas concessões ao bloco. 

Ainda hoje, o Tribunal de Justiça da União Europeia decidiu que o Reino Unido tem total permissão para desistir unilateralmente do processo . Tal decisão significa que, se para sair da União Europeia , o Reino Unido precisou negociar cada termo com Bruxelas, para revogar o Brexit e permanecer no bloco, bastaria uma simples comunicação formal ao Conselho Europeu, sem precisar de qualquer acordo com os outros Estados membros. 

Apesar disso, a Comissão Europeia garantiu que não deve renegociar o acordo, lembrando que o pacto conseguido entre Londres e Bruxelas e "o único possível". "Nossa posição permanece: não renegociaremos o acordo que está sobre a mesa atualmente", declarou a porta-voz da Comissão, Mina Andreeva, em entrevista coletiva desta segunda.

Leia também: Reino Unido decide pela saída da União Europeia: o que acontece agora?

Por sua vez, um subsecretário do governo de Theresa May afirmou que a premiê voltará a Bruxelas para renegociar o acordo com a União Europeia sobre o Brexit. O objetivo seria barrar o chamado "backstop", princípio que manteria uma fronteira aberta entre a Irlanda do Norte, território britânico, e a República da Irlanda, membro da UE, caso os dois lados demorem em aprovar um futuro tratado comercial.

* Com informações da Agência Ansa. 

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.